quarta-feira, 21 de julho de 2010

Brasileiros em Paris - parte II

Bonjour, amigos!

Hoje eu e o Leo fomos ao Musée de l'armée, onde estão as armaduras e todo aparato de guerra desde a Idade Média. É um acervo que impressiona, mas o que impressiona mais é ver esse culto à guerra. Tiramos umas fotos bonitas do lado de fora, principalmente do Dôme, a cúpula do local onde está o túmulo de Napoleão, que também fomos ver. É imponente. O local é bem bonito. Napoleão tinha um ego tão grande que há uma estátua dele vestido de imperador Romano e no chão está escrito: "Napoleão, Rei de Roma".









De lá fomos até a Torre Eiffel. Não para subi-la porque nunca mais pretendo enfrentar aquela fila enorme, mas para apreciarmos a beleza e a grandiosidade do monumento em si. É linda! Tiramos fotos de vários ângulos: do Champs de Mars, que fica atrás dela, do Trocadéro, que fica ao lado, de cima, de baixo, enfim...é um monumento realmente belo e merece toda fama que tem. Ficamos um tempo embaixo da Torre, num parquezinho, conversando. O melhor de viajar muito tempo é que não há aquela urgência de ver tudo. Há tempo para conversar, para passear sem destino, para curtir Paris.



Saindo de lá fomos até o Arco o Triunfo, que é perto, para tirarmos umas fotos, pois esse é outro que não pretendo voltar a subir. São 284 degraus! Mas vê-o de perto já é o suficiente.

Depois fomos ao mercado comprar algumas coisas pois havíamos marcado com a Renata de fazermos um programa tipicamente parisiense: um piquenique na beira do Sena! E escolhemos nada menos que um local bem na frente da Notre Dame! Me senti francesa comendo queijo em frente a minha Igreja favorita e conversando com os amigos. Foi uma delícia! Saímos de lá, passamos na frente da Igreja pra tirar umas fotos (lógico!) e cada um seguiu seu rumo.



O dia foi ótimo! Pessoas agradáveis e divertidas e uma Paris belíssima para a qual eu sempre quero voltar!
A Bientôt!

VIAGEM REALIZADA EM JULHO DE 2010

Brasileiros em Paris

Bonjour, amigos!

Céu azul e dia quente em Paris! Hoje de manhã fui encontrar o Leonardo em frente ao Louvre. Ele é um brasileiro que eu conheci numa comunidade do orkut e que estaria em Paris na mesma época que eu, então resolvemos nos encontrar para passearmos juntos. Foi ótimo! Nos encontramos em frente a Porte de Lyons que é a última entrada do Louvre e a mais vazia pois só é possível entrar se você já tiver o bilhete. Como havíamos comprado o Paris Museum Passe (o passe cultural de Paris, que dá direito à entrada em vários museus e monumentos) entramos sem fila.
Que maravilha poder ir apenas "passear no Louvre" sem aquele desespero de ter de ir de uma obra famosa a outra para poder ver tudo! Tanto que passamos pela sala da Monalisa e nem entramos. Eu já havia visto da outra vez e ele também. Fomos andando sem destino, sem olhar mapa, sem nada. Só observando as belezas concentradas no maior museu do planeta.



De lá fomos almoçar numa rua ao lado do museu. Comida grega. Deliciosa e muito bem servida. O local chamava-se "Chez Alexandre". Já abastecidos fomos passeando pelo Sena e tirando fotos. Liguei para a Renata, uma outra brasileira também do orkut, que está fazendo curso de francês aqui em Paris e marcamos de nos encontrar para fazer um passeio de barco. Já que eu e o Leo estávamos no caminho, resolvemos ir andando mesmo até o cais do Bateaux. Longe. Mas nem sentimos porque conversando tudo é mais fácil. Como chegamos cedo, fomos catar um local que vendesse sorvete. Que dificuldade! A região do Chaps Elysées é muito chique e não tem esse tipo de iguaria mais popular. Finalmente achamos um restaurante chamado "Paradis des fruits" e entramos. Tinha sorvete artesanal. Caríssimo (6 euros!), mas foi o melhor sorvete que já tomei na minha vida (até agora porque dizem q os da Itália são imbatíveis)!! Valeu cada centavo!!!


Depois encontramos a Renata e fizemos o passeio de barco. Foi ótimo! Conversamos, rimos e nos divertimos muito. É engraçado como brasileiro quando se junta fora do país em menos e 1 hora vira amigo de infância!

Ao terminarmos o passeio, pegamos o metrô e descemos na Chatelêt onde resolvemos comer "moules frites" (mexilhões com fritas). É um prato tipicamente belga, mas ano passado, quando estive na Bélgica, não tive coragem de comer. Como o Leo e a Renata gostavam, resolvi experimentar. É bom, mas não sei se comeria de novo.



De lá cada um tomou seu rumo e como eu estava perto de casa, voltei a pé. Uns 10 minutos andando. Eram 23h30 e as ruas estavam cheias. Pessoas tirando foto, tudo tranquilo. Acho que para uma carioca acostumada com tanta violência no RJ tudo aqui parece muito calmo mesmo.
O dia foi bem gostoso! Fiquei feliz por ter encontrado os dois. Pessoas agradáveis, simpáticas e divertidas.

A Bientôt!

VIAGEM REALIZADA EM JULHO DE 2010