quinta-feira, 28 de junho de 2012

Feriadão em São Lourenço


Olá, amigos!

Semana passada aconteceu aqui no Rio de Janeiro a conferência das nações pelo meio ambiente “Rio +20” e, como era feriado escolar, fui viajar para São Lourenço, uma das cidades hidrominerais de Minas e para onde eu não ia desde 2005. Choveu muito por lá e isso dificultou um pouco a viagem, mas de qualquer modo, como estávamos lá mesmo, resolvemos tentar fazer o melhor possível. Descobrimos um shopping chamado Bavária na Avenida Wenceslau Braz. Não é um shopping de compras, mas de serviços, contudo, o mais interessante que vimos lá dentro foi o “Mini Museu da Cachaça”, uma lojinha simpática com os mais diversos tipos de cachaças produzidos na região. A maioria em miniatura. Há, inclusive, degustação pra quem curte a bebida (não foi o meu caso) e quem nos recebeu foi o Senhor César que explicou tudinho sobre o museu, sobre a bebida e sobre os rótulos comemorativos. Há uma seção só com mini cachaças com rótulos de times de futebol.


 Ali vimos a “Havanna”, a cachaça mais cara do Brasil (mais de mil reais a garrafa!) e há alguns exemplares dos livros de Messias Cavalcante, o maior especialista da bebida no país. Foi um passeio diferente e, embora eu não me interesse muito por bebidas alcoólicas, achei o pequeno museu bacana. Ele não abre todos os dias, só às quintas, sextas, sábados e feriados de 9h às 17h (nos outros dias é possível agendar uma visita pelos telefones 35 8443-8508 ou 35 8839-5100).



Depois fomos passear um pouco pela cidade que tem uns orelhões bem divertidos e formato de garrafa de água mineral ou em formato de bichos ameaçados de extinção como o mico leão dourado.



Tentamos reservar o passeio para “O trem das águas”, uma maria fumaça que leva até a cidade de Soledade de Minas. Eu já havia feito esse passeio da última vez que estive em São Lourenço, e, naquela época, ele não era tão concorrido. Dessa vez, fomos na quinta-feira para reservar para sábado e não havia mais vaga nenhuma naquele fim de semana para o vagão especial. É que existem dois tipos de vagões: o turístico (R$35,00) e o especial (R$45,00), a diferença é que o segundo tem violeiros tocando durante toda a viagem, além de degustação de pinga, doce de leite e queijos durante o percurso. Para o turístico ainda havia vagas, mas preferimos não ir porque o passeio em si, não tem muita graça, o mais divertido é mesmo ouvir os músicos e degustar os quitutes durante a viagem. Ao se chegar em Soledade de Minas, o trem fica uma meia hora parado antes de voltar. Ali há uma feirinha de compras e um pequeno (pequeno mesmo!) Museu do Trem com peças antigas, moedas e engrenagens que já serviram à maria fumaça. Aconselho a quem for a São Lourenço e quiser fazer esse passeio, reservar com antecedência pelo telefone (35) 3332-3011. Os horários dos trens são: Sextas às 14h30 ; Sábados, 10h e 14h30 e Domingos às 10h.




Passeamos mais um pouco, compramos doces típicos da região e fomos ao restaurante “Ki Beleza”, na Avenida D.Pedro II para tomar uma sopa e esquentar um pouco aquela noite fria.

Até Breve!

VIAGEM REALIZADA EM JUNHO DE 2012