sábado, 20 de fevereiro de 2016

Arles, um bate e volta bem interessante a partir de Nîmes.

Bonjour, amigos!
Um dos passeios que fiz quando estava em Nîmes foi um bate e volta até Arles, uma cidade da região da Provence que, assim como Nîmes, também foi construída na intenção de reproduzir Roma.  Essa foi a cidade que Van Gogh escolheu para pintar mais de 300 telas, incluindo os famosos girassóis. O centro histórico de Arles ainda possui partes da muralha que cercava a cidade. Suas ruazinhas são estreitas e bonitinhas.
Saí cedo de Nîmes, peguei um trem e em menos de 30 minutos eu estava em Arles. A estação de trem não fica longe do centro da cidade, mas caso esteja chovendo ou você não queira andar, pode pegar um micro ônibus vermelho no ponto em frente à estação que ele te deixará bem no meio da cidade e o melhor: é de graça!
Ponto de ônibus em frente à estação de trem de Arles
O primeiro lugar onde fui foi, logicamente, as Arenas, o anfiteatro onde, em tempos antigos, cerca de 20 mil pessoas assistiam às lutas de gladiadores e até hoje assistem às touradas que, em Arles, tem a característica de não matar o touro no final. Funciona todos os dias de 10h às 17h e o ingresso custa 6 euros já com o audioguia incluído. Ela está bem mais bem preservada que as Arenas de Nîmes.
Dali passeei um pouco pelas ruas, fotografando a cidade e me dirigi às Termas de Constantino (ingresso a 3 euros. Funciona de 10h às 16h30). Elas ficam às margens do rio Reno e eram as termas do palácio do século III d.C. É bem grande e há explicação com desenhos no local para que a gente tente imaginar o que era o quê.

Arenas

Arenas




Pelas ruas de Arles

Cidade deserta no feriado




Termas de Cosntantino

Termas de Constantino

Ruazinha fofa ao lado das Termas 
 De lá fui até a Place du Forum, onde fica o Café Van Gogh. Este era um café que ele frequentava e que pintou em um de seus quadros. Hoje o café leva o nome do pintor. Eu até pensei em comer algo lá, mas como todo lugar famoso, tudo lá era bem caro e desisti, apenas tirei muitas fotos e preferi comer em uma creperia que encontrei quando estava indo para a gare.

Café imortalizado por Van Gogh em sua tela
Existem outras atrações em Arles, mas como eu fui lá no dia 06 de janeiro e nem me atinei que era dia de Reis e que os franceses têm essa data como feriado, muitos lugares estavam fechados.  Mas no blog da minha amiga Renata Inforzato, que passou alguns dias lá, há muitas dicas de o que fazer para quem quiser conhecer melhor a cidade. É só acessar: http://diretodeparis.com/category/franca/provence-alpes-cote-dazur/provence/arles/

Até a próxima! 

VIAGEM REALIZADA EM JANEIRO DE 2016