domingo, 10 de julho de 2016

Museus dessa viagem em Paris

Bonjour, amigos! 
Nessa minha última viagem, ao contrário do que costumo fazer, fui a poucos museus. Na verdade eu tinha uma lista enorme de museus para ver e rever, mas acabei não tendo tanta vontade de ir e não fui a muitos deles. Claro que voltei ao Louvre, afinal, sempre há um lugar novo e desconhecido dentro desse museu enorme! Dessa vez conheci a arte do Islam, já que eu estava bem influenciada pela arte árabe que tinha visto na Andaluzia. 

Adoro esses mosaicos

Será que esse voa? 



Eu sempre acho que se você só tem tempo de ir a um museu em Paris que esse museu tem de ser o Louvre! É claro que tendo o tamanho que ele tem, não é possível vê-lo todo em um dia, mas e daí? Só o fato de você escolher uma ala e se deliciar com toda aquela arte já vale os 12 euros do ingresso. Separe uma manhã ou uma tarde, pegue seu mapa em português na bilheteria e boa viagem ao mundo da arte! 

Minha escultura preferida de todo o Louvre: A Vitória de Samotrácia

Trono de Ceres

Conheci dois museus bem semelhantes nessa minha viagem. Um no Marais, chamado Cognac-Jay cuja entrada é grátis e cujo acervo é da mobília dessa família do século XVIII. (metrô mais perto: Rambuteau ou Saint Paul. Funciona de terça a domingo, de 10h às 18h)




O outro museu, cujo acervo também é de mobiliário foi o Museu da Vida Romântica, onde, no século XIX, funcionava a sociedade de Artes e Letras, frequentado por Rossini, Delacroix, Chopin, entre outros. A entrada também é gratuita e o metrô mais perto é a estação Pigalle. Também funciona de terça a domingo de 10h às 18h.




Um outro lugar bem bacana que conheci nessa viagem foi o Musée des Arts Forains, que fica nos pavilhões em um bairro um pouco mais afastado do centro, chamado Bercy.
O lugar é incrível! Na verdade só é possível visitar esse museu em visita guiada (inglês ou francês) e com ingresso comprado com antecedência. Caso você queira arriscar ir, pode até esperar para ver se vai sobrar vaga em algum grupo, mas aconselho a comprar antes mesmo, pelo site ( http://www.arts-forains.com).
A proposta desse museu é ser uma viagem ao tempo da Paris da Belle Époque, cheia de parques, carrosséis, jogos e muita festa! A gente vai sendo levado, sala a sala, onde um guia nos conta a história daqueles objetos e, em alguns, podemos brincar. Andei de carrossel, joguei um jogo engraçado com garçons segurando uma bandeja, dancei valsa e me diverti bastante. É um ótimo passeio, porém pouco conhecido ainda dos brasileiros. Nos grupos daquele dia não tinha nenhum outro brasileiro além de mim. São apenas 2 grandes grupos por vez que são subdivididos em três, cada um com 25 pessoas. Se vc entende um pouco de inglês ou francês, eu recomendo muito o passeio!

Quando criaram a Torre, criaram junto várias lembranças com esse motivo, já que imaginavam que ela seria destruída em 6 meses, mas não foi....e  hoje é impossível pensar em Paris sem associar à Torre Eiffel

Alguém aí quer ler a mão? 

Andei nesse carrossel também. Foi divertido! 

Esse carrossel de bicicletas aparece no filme Meia Noite em Paris (e anda super rápido, é uma delícia!)

O jogo dos garçons. A gente jogava uma bolinha que caía num buraco e nosso garçom andava, o que chegasse primeiro ganhava

Esses foram os museus que visitei dessa vez. Poderiam ter sido muitos mais, mas eu estava sentindo mais vontade de flanar pelas ruas de Paris. E como estava de férias, foi isso que fiz!
A Bientôt!

VIAGEM REALIZADA EM JANEIRO DE 2016