Mostrando postagens com marcador Montpellier. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Montpellier. Mostrar todas as postagens

domingo, 16 de junho de 2013

O que há para ver em Montpellier

Bonjour, amigos!

Montpellier é uma cidade que fica na região francesa de Languedoc-Roussillon. Ela tem esse nome porque antes do francês ser imposto como língua oficial, o dialeto falado aqui era o Occitan, portanto “Languedoc” é a junção de “Langue”(língua, em francês) com d’Oc ( d’Occitan) e Roussillon é o nome de uma cidade no centro dessa região. Aquela famosa perfumaria “L’Occitanne” tem esse nome em homenagem a esse dialeto antes falado nessa região.
Montpellier é uma cidade agradável, quente e cheia de jovens por todos os lados. Sua praça principal, chamada de Place de la Comèdie, por causa do teatro de comédia feito em seu centro, fica a poucos metros da estação de trem e tem vários restaurantes, além do posto de informação turística.

catedral de Saint Pierre
Montpellier, curiosamente, não tem ônibus. Seu transporte público é o tramway, uma espécie de metrô de superfície que tem 4 linhas diferentes e atravessa a cidade de ponta a ponta, incluindo a Estação de trem (gare saint Roch) e a Place de la Comèdie. Ele só não passa por dentro do centro histórico, onde está a bela catedral de Saint Pierre, em estilo gótico fundada em 1364 (funciona todo dia de 9h às 12h e de 14h às 19h). Ao lado da igreja fica a “Tour des Pins”, ou torre dos pinheiros, uma das duas torres que sobraram das antigas muralhas da cidade, que data do século X. A outra é a “Tour de Babote”, que tem uma pracinha atrás dela com simpáticos restaurantes de comida natural.

Tour de la Babote
A linha 1 (azul) do tramway leva também até o Odysseum, um bairro planejado como centro de entretenimento com restaurantes, cinema, boliche, pista de patinação e planetário. Ali dentro existe um hipermercado fantástico (fica no andar de cima) que tem uma seção de queijos de dar água na boca. E essa linha passa ainda pela bairro de Antigone, um conjunto residencial pós moderno onde está uma filial da Gallerie Laffayette, de Paris.

Lafa de Montpellier

tramway linha 1

ponto de tramway com máquinas para comprar o bilhete (em todos os pontos tem uma dessas)

máquina que vende bilhetes de tramway, só aceita moedas ou cartão de crédito com chip
Outro atrativo de Montpellier é seu famoso museu Fabbre (13, rue Montpellierèt, funciona de terça a domingo de 10h às 18h e custa 6 euros) que tem um acervo imenso, com mais de 900 obras de arte desde o século XV até os dias de hoje. Pessoalmente, eu não gostei muito desse museu, mas ele é um dos mais importante da cidade, talvez por ter sido fundado por Napoleão em 1803.

museu Fabbre

Museu Fabbre

Montpellier é uma boa cidade para se usar como base para conhecer tanto a região de Languedoc quanto a região da Provence, já que tem trens direto para quase todas as cidades, além disso, é uma cidade cuja hospedagem é barata e cujos habitantes são muito simpáticos, talvez por ser uma cidade universitária, talvez por ser verão.
O fato é que, apesar dos muitos árabes e africanos que vemos por aqui, Montpellier me pareceu ser segura e com uma boa estrutura para uma cidade pequena.

A Bientôt!

VIAGEM REALIZADA EM JUNHO DE 2013

terça-feira, 19 de julho de 2011

Viagem à Montpellier, uma cidade no sudoeste da França

Bonjour, amigos!

Saímos de Paris hoje cedo. Pegamos o ônibus 63 e fomos até a Gare de Lyon para pegar o trem que nos levaria a Montpellier, cidade no sudoeste da França. É muito mais fácil ir para as gares de ônibus, principalmente porque estamos com uma grande e pesada mala, então as escadas do metrô seriam bem complicadas.
O trem saiu no horário e a viagem corria bem até sentar na nossa frente uma mãe com uma criança que não parava de falar um só minuto! Parecia que ela tinha engolido a pílula falante da Emília, personagem de Monteiro Lobato, pois ela só calou a boca no fim da viagem, quando a mãe conseguiu fazê-la dormir um pouco. Ufa! Por que será que as crianças falam tão alto?


Chegamos tranquilamente e fomos reservar nossos próximos trens, contudo, por ser alta temporada, as reservas estavam esgotadas. Resultado: Teremos que viajar sem reservas, correndo o risco de não termos assentos. Mas é um risco que se corre quando se viaja no verão europeu.

Achamos facilmente nosso hotel chamado “Hotel de Paris”, ele fica logo na saída da gare, muito bem localizado, com várias lojas por perto como mercados, restaurantes e até lavanderia. Dá para fazer quase tudo a pé. O staff do hotel é bem simpático e o quarto, além de grande e limpo, tem ar condicionado! Recomendo esse hotel! Bom e barato!  Para quem for à Montpellier, vale a pena!
Saímos para conhecer a cidade. Almoçamos uma massa em um restaurante na praça central e fomos a um museu chamado “Languedocien” com um acervo que vai desde o império Romano até a idade média. Muito bonito! Inclusive o prédio do museu era sobre umas ruínas romanas e o pátio interno tinha uma arquitetura belíssima, o único senão era não podermos fotografar lá dentro.


Depois fomos ao “Promenade du Peyrou”, uma espécie de parque onde estão os antigos aquedutos romanos. O lugar é muito bem conservado e bem bonito.


Aliás, Montpellier foi uma grata surpresa, pois a cidade tem uma bela arquitetura e parece ser bem animada, já que tudo fecha tarde.
Amanhã vamos conhecer Carcassonne, uma cidadezinha medieval a uma hora daqui.
Au Revoir!

VIAGEM REALIZADA EM JULHO DE 2011