Mostrando postagens com marcador Provence. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Provence. Mostrar todas as postagens

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Arles, um bate e volta bem interessante a partir de Nîmes.

Bonjour, amigos!
Um dos passeios que fiz quando estava em Nîmes foi um bate e volta até Arles, uma cidade da região da Provence que, assim como Nîmes, também foi construída na intenção de reproduzir Roma.  Essa foi a cidade que Van Gogh escolheu para pintar mais de 300 telas, incluindo os famosos girassóis. O centro histórico de Arles ainda possui partes da muralha que cercava a cidade. Suas ruazinhas são estreitas e bonitinhas.
Saí cedo de Nîmes, peguei um trem e em menos de 30 minutos eu estava em Arles. A estação de trem não fica longe do centro da cidade, mas caso esteja chovendo ou você não queira andar, pode pegar um micro ônibus vermelho no ponto em frente à estação que ele te deixará bem no meio da cidade e o melhor: é de graça!
Ponto de ônibus em frente à estação de trem de Arles
O primeiro lugar onde fui foi, logicamente, as Arenas, o anfiteatro onde, em tempos antigos, cerca de 20 mil pessoas assistiam às lutas de gladiadores e até hoje assistem às touradas que, em Arles, tem a característica de não matar o touro no final. Funciona todos os dias de 10h às 17h e o ingresso custa 6 euros já com o audioguia incluído. Ela está bem mais bem preservada que as Arenas de Nîmes.
Dali passeei um pouco pelas ruas, fotografando a cidade e me dirigi às Termas de Constantino (ingresso a 3 euros. Funciona de 10h às 16h30). Elas ficam às margens do rio Reno e eram as termas do palácio do século III d.C. É bem grande e há explicação com desenhos no local para que a gente tente imaginar o que era o quê.

Arenas

Arenas




Pelas ruas de Arles

Cidade deserta no feriado




Termas de Cosntantino

Termas de Constantino

Ruazinha fofa ao lado das Termas 
 De lá fui até a Place du Forum, onde fica o Café Van Gogh. Este era um café que ele frequentava e que pintou em um de seus quadros. Hoje o café leva o nome do pintor. Eu até pensei em comer algo lá, mas como todo lugar famoso, tudo lá era bem caro e desisti, apenas tirei muitas fotos e preferi comer em uma creperia que encontrei quando estava indo para a gare.

Café imortalizado por Van Gogh em sua tela
Existem outras atrações em Arles, mas como eu fui lá no dia 06 de janeiro e nem me atinei que era dia de Reis e que os franceses têm essa data como feriado, muitos lugares estavam fechados.  Mas no blog da minha amiga Renata Inforzato, que passou alguns dias lá, há muitas dicas de o que fazer para quem quiser conhecer melhor a cidade. É só acessar: http://diretodeparis.com/category/franca/provence-alpes-cote-dazur/provence/arles/

Até a próxima! 

VIAGEM REALIZADA EM JANEIRO DE 2016

domingo, 23 de junho de 2013

Passeio das Lavandas

Bonjour, amigos!

Uma das coisas boas de se conhecer a região da Provence no verão é ver a floração das lavandas. Algumas pessoas gostam de alugar um carro e sair percorrendo as cidadezinhas onde trens não chegam e onde há plantações de grandes campos de lavanda. Para quem tem medo de dirigir fora do país ou não tem carteira de motorista, uma opção para ver essa região é contratar um passeio guiado no posto de informação turística de alguma cidade maior, como Aix ou Avignon.
Saindo de Avignon existe um passeio chamado “Percurso da lavanda” que custa 45 euros e tem duração de 5 horas. Nele pode-se ir aos campos de lavanda, à Abadia de Senanque e a algumas cidadezinhas (apenas para tirar foto) como Gordes e Sault. Há também a visita a uma destilaria onde se pode comprar óleos essenciais de lavanda e mel de lavanda, além de se aprender como é feita a extração dos mesmos. Algumas empresas fazem esse passeio com guias que falam espanhol, mas é bom se certificar quando comprar o pacote.

Abadia de Senanque

Lavandas em frente à Abadia

Destilaria

Vista de Gordes

Primeira floração da lavanda
Sault

Loja de torrones e macarrons em Sault

Em Sault, onde há uma parada maior, pode-se visitar uma loja que vende macarrons de amêndoa e torrones, guloseimas típicas da região.
A bientôt!

VIAGEM REALIZADA EM JUNHO DE 2013

Aix e Avignon, duas cidades bem diferentes da Provence

Bonjour, amigos!

A Provence é uma região da França conhecida pela sua produção de lavandas. É uma região onde tudo cheira à lavanda e tudo remete à essas pequenas florezinhas lilases, que na verdade, só florescem de junho a agosto.
Aix-en-Provence e Avignon são duas cidades bem conhecidas na Provence e guardam, cada uma, características bem próprias do lugar ao qual pertencem. Aix é maior, mais juvenil e colorida, visto que é uma cidade universitária. Já Avignon é menorzinha, mas tem seu imponente Palácio dos Papas como ponto central da cidade. Aix foi a cidade de Cèzanne, famoso pintor impressionista que morreu em 1906, já Avignon, é uma cidade mais voltada para a religião já que foi sede papal e foi se modificado e crescendo ao longo de 9 pontificados. O verão na Provence pode ser bem quente, com temperaturas atingindo facilmente os 35 graus, porém em Aix o calor é mais sufocante já que não venta tanto como em Avignon, que tem um vento que sopra do sul chamado mistral e que pode fazer o inverno ser bem frio, portanto é bom levar casaco para Avignon, caso não se queira ir no verão.  


lavandas
Algumas cidades da Provence tem feiras e mercados de comida bem populares. É o caso de Aix que possui um mercado aos sábados na Place de Prechêurs e que, mesmo que não se queira comprar nada, já vale só pelo passeio, pelo aroma e pela beleza dos seus produtos.
Avignon também tem um mercado coberto (Les Halles) que funciona na Place Pie de terça a domingo pela manhã.

cerejas enormes no mercado

azeites e vinagres no mercado
Aix possui diversas lojinhas ao longo de sua rua principal onde se encontra tudo de lavanda, desde sabonetes até enfeites de cozinha. Avignon também tem lindas lojinhas, porém o apelo consumista é um pouco menor.

lojinha em Avignon
 Em Avignon pode-se fazer um passeio de trenzinho que sai da praça bem em frente ao Palais des papes. Custa 7 euros e faz um percurso bem interessante através das ruazinhas estreitas e antigas da cidade. Ele também sobe até o Rocher des Doms, um pequeno parque no alto do Palais des papes através do qual se pode descer para a ponte Saint Benezét, uma ponte sobre o rio Rhône que corta a cidade. Essa ponte, também conhecida como Ponte de Avignon caiu 5 vezes devido às cheias do rio e foi restaurada 4 vezes. Na quinta, desistiram e deixaram a ponte pela metade, ou seja, ela não leva a lugar nenhum, mas dela pode-se ter uma bela vista tanto do rio quanto da cidade. O ingresso combinado da Ponte com o Palais des Papes custa 15 euros e vale por dois dias consecutivos, caso queira comprar separado, sai um pouco mais caro e os ingressos só valem para o dia da compra.
A visita ao Palais é bem interessante para quem gosta de arquitetura e quer tirar belas fotos da cidade, pois após muitas escadas, pode-se ter uma bela vista. Lá no alto existe um café onde se pode descansar de toda aquela subida. Dentro do palácio pode-se tirar foto de quase tudo (sem flash) menos de duas capelas com afrescos.

jardim do Palais des Papes





vista do alto do Palais des papes

Palais des Papes




Pont Saint Benezét vista do Rocher des Doms
Acesso para a descida do Rocher des Doms até a ponte Saint Benezét


Descida para a pont Saint Benezét



Ponte Saint Benezét

Ruazinha medieval
Em Aix-en-Provence pode-se visitar o ateliê de Cèzanne que está tal qual ele deixou quando morreu. O lugar fica fora do limite do centro histórico, numa ladeira um tanto íngreme e para poupar a subida, pode-se pegar o ônibus número 5 bem em frente ao Posto de informação turística, na Rotonde Victor Hugo. A parada chama-se “Cèzanne” e ao saltar do ônibus, deve-se descer a rua na direção contrária, pois o ateliê fica um pouco mais abaixo do lado direito numa porta vermelha. A entrada custa 6 euros, mas pode-se visitar os jardins gratuitamente. Não há muito o que ver lá em cima além de um grande quarto com apetrechos de pintura. Vale mesmo para quem gosta dessas curiosidades ou para quem é apaixonado por Cèzanne. Fotos são proibidas dentro do ateliê.

Rotonde Victor Hugo

Jardim do Ateliê de Cèzanne

Jardim do ateliê de Cèzanne
Para se chegar tanto a Aix quanto a Avignon de trem é preciso ter alguma atenção na hora de comprar a passagem, pois as duas cidades possuem duas estações de trem: uma central e outra TGV. A primeira é a que fica no centro da cidade e permite que se passeie sem precisar pegar  outra condução, já a Gare TGV fica mais distante (18km do centro no caso de Aix e 6km do centro no caso de Avignon), o que dificulta um pouco para quem vai apenas passar um dia na cidade já que é preciso pegar um ônibus dessa estação até o centro das cidades.
A Bientôt!

VIAGEM REALIZADA EM JUNHO DE 2013

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Um dia na Provence


Bonjour, amigos!
Finalmente estou na França! Como é bom poder entender o que está escrito nas placas  e poder me comunicar com as pessoas!
Saímos de Frankfurt no trem de 14h e chegamos a Aix-en- Provence (Gare TGV) às 21h30. Alugamos um carro para podermos ter mais mobilidade, principalmente nas cidades menores onde os trens não chegam. Demorou uma meia hora até chegarmos ao nosso hotel que fica no centro de Aix en Provence. O nome é Hotel Rotonde e é muito bem localizado, mas os quartos deixam a desejar.  Estávamos  bem cansadas  quando chegamos, afinal foram 7 horas de viagem e por mais que tenhamos comprado primeira classe, em trens, isso nunca faz tanta diferença como nos aviões.  Além disso, as refeições que fizemos a bordo foram bem precárias, pois só há comida pronta, nada muito saudável...

No trem, a caminho de Aix

Hoje pela manhã fomos tomar café. Bom e variado.  O pessoal saiu de manhã e foi para algumas cidades da Provence, eu decidi ficar e conhecer melhor Aix, pois seria o meu único dia aqui já que eu desisti de ficar na Provence e irei amanhã para Paris (dois dias antes do previsto). Muitas coisas vêm me irritando ao longo da viagem, mas hoje de manhã, quando tivemos que rearrumar tudo para trocar de quarto, cheguei ao meu limite! E como não quero ser uma companhia ruim para ninguém (nem para mim), resolvi antecipar minha ida à Paris, visto que é lá que me sinto em casa quando estou na Europa.
Fui até a estação para comprar minha passagem, fiz uma reserva num hotel onde já fiquei duas vezes quando estive em Paris e depois saí para conhecer um pouco de Aix en Provence, que me surpreendeu pelo tamanho. Achei que ela fosse bem menor, mas é quase uma cidade grande travestida de cidade pequena. 

Place de la Rotonde

Cours Mirabeau

Cours Mirabeau

Fui passear no Cours Mirabeau que é a rua mais importante daqui.  Passei numas livrarias (aqui têm muitas por ser uma cidade universitária); olhei os lojas de calissons (um doce a base de amêndoas que é típico de Aix en Provence) e passeei pelo Centro histórico.
Calissons
 Tirei muitas fotos, entrei em lojinhas, conversei com as pessoas. Todas muito simpáticas! Como é bom ser entendida!!! Depois fui almoçar em um restaurante de uma pracinha bem simpática em frente ao Museu das tapeçarias, pois eu queria ir lá depois. Ali  comi uma lasanha deliciosa acompanhada de uma salada.

Hôtel de Ville

lojinha no centro histórico

Confisserie de Roy René, onde vende calissons

Interior de uma lojinha

Catedral

Torre preservada

ruazinha

almoço: lasanha e salada
Depois fui ao Museu que é  muito lindo, pena que fotos eram proibidas...dali fui à Catedral, às ruas históricas, a algumas ruínas e finalmente, depois de muito andar, resolvi pegar uma "Diabline" que é uma espécie de carro elétrico que anda pelas ruas estreitinhas. Ele não é feito para turistas, pois comporta, no máximo, 5 pessoas e custa 0,50 centavos, mas eu já tinha lido sobre ele e resolvi experimentar. Foi ótimo! O motorista era muito simpático e viemos conversando a viagem toda. Ele até elogiou o meu francês! Eu passeei bastante e ainda fiz uma conexão ( o bilhete dá direito a uma conexão em até 1 hora). De tudo que vi e vivi hoje, essa foi, sem dúvida, a experiência mais interessante.
 No entanto, eu fiquei um pouco decepcionada com Aix, pois eu a imaginava uma cidade pequena, com centro histórico mais preservado, mas aqui é tudo muito misturado , o velho  e o novo e não era bem o que eu esperava, imaginava algo mais pitoresco, que lembrasse Carcassone ou mesmo Toledo, mas não é bem assim e pelo que andei sondando, todas as cidades da Provence que pretendo conhecer um dia, são nesse estilo...já não sei se estou mais tão encantada com a Provence como já estive um dia...


Cezanne, o personagem mais ilustre de Aix


À noite, reencontrei a galera que já havia voltado do passeio e fomos jantar no Chez Jo, um restaurante perto da Place de la Rotonde que é bem gostosinho. Comemos uma pizza bem fininha de queijo com champignon.  Delícia! 


Voltamos para o hotel, eu fui arrumar minha mala já que amanhã parto para minha amada Paris! Que saudade!

A biêntot!

VIAGEM REALIZADA EM NOVEMBRO DE 2012